Regulamentos

Faculdade de Psicologia

Regulamento Geral de Proteção de Dados

A Faculdade de Psicologia respeita e protege os dados pessoais dos seus alunos, docentes, investigadores, funcionários e restante comunidade, assegurando os direitos consagrados no Regulamento Geral de Proteção de Dados. Os pedidos de alteração, eliminação, revogações de consentimento e questões relacionadas com a proteção de dados pessoais deverão ser enviados para o endereço protecaodedados@psicologia.ulisboa.pt, assegurando-se uma resposta dentro dos prazos legais.
O Encarregado da Proteção de Dados da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa é o Prof. Doutor Carlos Ribeiro, vice-reitor da Universidade de Lisboa.

Estatutos da Faculdade de Psicologia

A Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa (FPUL) rege o seu funcionamento, para além da legislação e regulamentos comuns a todas as instituições do Estado Português e às restantes faculdades da Universidade de Lisboa, pelos Estatutos publicados no Despacho nº 16489/2013, a 19 de Agosto, tendo sido alterado pelo Despacho n.º 10111/2019, a 08 de Novembro.

– Procedimento Regulamentar n.º 1/FP/2019

Regulamento Orgânico da Faculdade de Psicologia

Os serviços técnicos e administrativos da FPUL – Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa – estão integrados em Serviços Comuns com o IE – Instituto da Educação – e desenvolvem atividades de apoio à investigação,  ao ensino e ao funcionamento geral da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

– Regulamento n.º 507/2015 – Diário da República n.º 151/2015, Série II de 2015-08-05
– Declaração de Retificação n.º 821/2015 – Diário da República n.º 183/2015, Série II de 2015-09-18

Pós-Doutoramentos

Regulamento de Pós Doutoramentos na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

Conselho Científico – 13 de novembro de 2014

Universidade de Lisboa

Código de Conduta e Boas Práticas da ULisboa

Aos membros da comunidade académica da Universidade de Lisboa (docentes e investigadores, trabalhadores não docentes e não investigadores, bolseiros de investigação, estudantes e visitantes) é requerida a observância individual de padrões de ética, justiça e igualdade de oportunidades, integrando estes valores na vida académica e na atividade profissional desenvolvida na Universidade e nas suas unidades orgânicas, bem como nas relações da Universidade com a sociedade.

Despacho n.º 6441/2015, Diário da República n.º 111/2015, Série II de 2015-06-09

.