Mostra Bibliográfica

O Professor Primário

«Uma das tarefas fundamentais de todas as sociedades humanas organizadas é a transmissão, de geração em geração, de um modo colectivo de viver e de compreender o mundo, é a reprodução de um conjunto de normas sociais através das quais os homens dão forma à sua existência. (…)
O processo de profissionalização da actividade docente organiza-se em torno de:
Um eixo central: a evolução do estatuto social e económico dos professores, bem como do conjunto das relações que mantêm com os diferentes grupos sociais. Esta questão é indissociável do problema da identidade profissional dos diversos grupos de professores.
Duas dimensões:
A construção de um corpo de conhecimentos e de técnicas próprio e específico da profissão docente, corpo que está em constante reelaboração.
A organização (explícita ou implícita) de um conjunto de normas e de valores que devem pautar o exercício da profissão docente e mesmo a actividade quotidiana dos professores.
Quatro etapas:
Exercício a tempo inteiro (ou como ocupação principal) da actividade docente, constituindo o ensino o modo de vida de um grupo profissional cada vez mais especializado, os professores.
Estabelecimento de um suporte legal para o exercício da actividade docente, nomeadamente através da imposição legal de os professores possuírem uma licença (e/ou um diploma) do Estado para poderem ensinar.
Criação de instituições específicas para a formação de professores, que têm como missão transmitir aos futuros professores os conhecimentos e as técnicas, as normas e os valores, próprios da profissão docente, através de um “role-transition” (passagem do papel de aluno ao papel de professor) e não de um “role-reversal” como a maioria das outras profissões.
Constituição de associações profissionais de professores, normalmente com características sindicais, que desempenham um papel fulcral no desenvolvimento de um espírito de corpo e na defesa do estatuto socioprofissional dos professores.»

Nóvoa, A. (1987). Do Mestre-Escola ao professor do ensino primário: Subsídios para a história da profissão docente em Portugal (séculos XV-XX). Análise Psicológica, 5, 413-440.

.

.

.

Poderá ver esta mostra na biblioteca da Faculdade de Psicologia

XXVth International Conference on Public Education convened by Unesco and the I.B.E. (1962). In-service training for Primary teacher. Geneva: Unesco-International Bureau of Education.
PD-1016

Adão, Á. (1984). O estatuto sócio-profissional do professor primário em Portugal: 1901-1951. Oeiras: Instituto Gulbenkian de Ciência.
HIST/ED ADA*EST

Adão, Á, Martins, É. (Orgs.) (2004). Os professores: identidades (re)construídas. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas.
FOR/PROF ADA*PRO

Alves, F. A. C. (2001). O encontro com a realidade docente: ser professor principiante. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.
FOR/PROF ALV*ENC

Bastiani, J. (1995). Taking a few risks: learning from each other: teachers, parents and pupils. London: Royal Society of Arts.
SOC/ED BST*TAK

Benavente, A. (1976). A escola na sociedade de classes: o professor primário e o insucesso escolar. Lisboa: Livros Horizonte.
PED BNV*ESC

Carlgren, I., Handal, G., Vaage, S. (Eds.) (1994). Teachers’ minds and actions: research on teachers’ thinking and practice. London: The Falmer Press.
FOR/PROF CRL*TEA

Clarke, B., Grevholm, B., Millman, R. (Eds.) (2009). Tasks in primary mathematics teacher education: purpose, use and exemplars. New York: Springer.
FOR/PROF CLR*TAS

Cosme, A. (2009). Ser professor: a acção docente como uma acção de interlocução qualificada. Porto: Livpsic.
FOR/PROF CSM*SER

Cuban, L. (1993). How teachers taught: constancy and change in American classrooms, 1890-1990. New York: Teachers College Press.
HIST/ED CBN*HOW

Day, C. (2005). A passion for teaching. London: Routledge Falmer.
FOR/PROF DAY*PAS

De Bóo, M. (1999). Enquiring children, challenging teaching: investigating science processes. Buckingham: Open University Press.
DID/CIE BOO*ENQ

Delaney, S. (2017). Become the primary teacher everyone wants to have: a guide to career success. London: Routledge.
FOR/PROF DLN*BEC

Gipps, C., McCallum, B., Hargreaves, E. (2000). What makes a good primary school teacher? expert classroom strategies. London: Routledge Falmer.
FOR/PROF GPP*WHA

Immerzeel, G., Thomas, M. (Org.) (1982). Ideas from the arithmetic teacher: grades 1-4: primary. Reston: The National Council of Teachers of Mathematics.
DID/MAT IMM*IDE

Lieberman, A., Miller, L. (1992). Teachers – their world and their work: implications for school improvement. New York: Teachers College Press.
FOR/PROF LBR*TEA

Lima, L. O. (1966). Treinamento do professor primário: uma nova concepção da escola normal: formação profissional por unidades de treinamento. Belo Horizonte: Editora do Professor.
FOR/PROF LIM*TRE

Lopes, J., Silva, H. S. (2011). O professor faz a diferença: na aprendizagem dos alunos, na realização escolar dos alunos, no sucesso dos alunos. Lisboa: Lidel.
FOR/PROF LPS*PRO

Marcozzi, A. M., Dornalles, L. W., Rêgo, M. V. B. S. (1965). Ensinando à criança: guia para o professor primário. Rio de Janeiro: Ao livro técnico.
PD-864

Merry, R. (1998). Successful children, successful teaching. Buckingham: Open University Press.
PED MRR*SUC

Moyles, J. R. (1988). Self-evaluation: a primary teacher’s guide. Berkshire: Nfer-Nelson.
AVA/ED MYL*SEL

Nóvoa, A. (1992). Do mestre-escola ao professor do ensino primário: subsídios para a história da profissão docente em Portugal (séculos XVI-XX). Lisboa: Instituto Superior de Educação Física.
HIST/ED NOV*DO Ex. 1

Ovens, P. (2000). Reflective teacher development in primary. London: Falmer Press.
FOR/PROF OVN*REF

Paisey, A. (Ed.) (1983). The effective teacher in primary and secondary schools. London: John Wright & Sons.
FOR/PROF PSY*EFF

Pinheiro, J. E. M. (1975). Jornal de impressões de um professor primário: ano lectivo de 1957-58. [S.l.: s.n.].
PD-4641

Queiroz, N. B. (1973). Professor primário: necessidades, aspectos qualitativos. Pernambuco: Secretaria de Estado de Educação e Cultura: Instituto de Estatística e Pesquisa Educacionais.
PD-2622-2

Sirota, R. (1988). L’école primaire au quotidien. Paris: PUF.
PD-5615

Santos, T. M. (1962). Manual do professor primário: o professor, a escola, o aluno, os métodos, as medidas, as instituições. São Paulo: Companhia Editora Nacional.
PEP-15

Traianou, A. (2007). Understanding teacher expertise in primary science: a sociocultural approach. Rotterdam: Sense Publishers.
DID/CIE TRN*UND

2018-10-10T17:47:18+00:00