Elisa Kern de Castro

Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) Escola de Saúde

“O câncer infantil como trauma: Transtorno de Estresse Pós-Traumático e Crescimento Pós-Traumático em sobreviventes e cuidadores”

20 fevereiro  | 11:00 horas

Sala 7

Entrada Livre

Atualmente, 70% das crianças que tiveram câncer infantil sobrevivem e pouca atenção tem sido dada à sua qualidade de vida e saúde mental, bem como à de seus progenitores. Para que o aumento da expectativa de vida seja acompanhada de qualidade de vida, é importante que se conheça as possíveis consequências psicológicas dessa experiência traumática.

Sobreviventes de câncer infantil e seus progenitores podem apresentar sofrimento psicológico, incluindo o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Por outro lado, a superação de uma situação que envolve risco de vida também tem sido relacionada às mudanças psicológicas positivas, como o Crescimento Pós-Traumático (CPT). Essas mudanças causadas pela experiência traumática do câncer infantil, juntamente com a percepção que sobreviventes e seus progenitores têm da doença, podem ter um impacto na sua qualidade de vida.

Nesse sentido, essa conferencia abordará o tema do TEPT e CPT em sobreviventes de câncer infantil e seus progenitores a partir da premissa de que a experiência a doença na infância é um evento traumático. Serão discutidos resultados preliminares a respeito de um estudo realizado no Brasil com sobreviventes de câncer infantil e seus progenitores, e possibilidades de atuação do psicólogo da saúde frente a esse tema.

Palavras-chave: saúde mental, transtorno de estresse pós-traumático, autorregulação, câncer infantil

2019-02-04T15:07:28+00:00